Pular para o conteúdo

Isla de Sol – Um Encontro com o EU!

Descrição

Isla del Sol

O Paraíso Misterioso! A Ilha Sagrada dos Incas!

Prepare-se! Aqui adentraremos em um território exótico, natural e diferente, que transmite encantamento desde o momento em que nossos pés o tocam. Estejamos de coração aberto, preparados para um romance com o cósmico, com o planeta e conosco mesmos.

Aqui, viveremos uma jornada de encontro místico, na busca pelo equilíbrio pessoal.

Antes de seguirmos nosso passeio pela Isla del Sol, na Bolívia, convidamos a todos a entender a importância desse lugar considerado o berço da civilização inca:

Reza a lenda que a região do Lago Titicaca sucumbiu à escuridão após uma grande enchente.

Após o acontecimento, o Deus Supremo Inca, chamado Viracocha, criou o Deus do Sol, invocando que o astro voltasse a brilhar por essas terras. Hoje em dia existem dezenas de ruínas espalhadas pela Isla del Sol, que eram espaços sagrados ligados a esse evento.

Uma outra parte da lenda diz que o Deus Supremo Inca enviou a esse lugar seu filho Monca Capa e sua filha Mama Ocllo, para ensinar aos humanos como construir casas e caçar alimento. Eles são considerados os fundadores do Império Inca e da capital Cusco (esta por sua vez, no Peru), sendo esse o motivo da Isla del Sol ser considerada o começo da civilização inca.

Em Isla de Sol nos hospedaremos na parte sul, no Ecolodge “La Estancia”, um refúgio espiritual em harmonia com a natureza e com os ritmos do Lago Titicaca, bem como também em harmonia com a cultura e herança dos aymaras locais. Este Ecolodge oferece um cenário de tirar o fôlego diferente de qualquer outro, com vistas majestosas do lago e da Cordilheira dos Andes Reais. Todos os quartos possuem banheiro privativo.

Com apenas 15 casas de campo construídas em terraços agrícolas restaurados (tacanas) e um design intimista que permite uma imersão total nas belezas naturais da Ilha. É construído com proposta de design sustentável, a partir de madeira local, pedras, adobe e palha. Além disso, há painéis solares que são utilizados no aquecimento da água, harmonizando o ambiente. Todos os quartos oferecem além de banheiros privativos, vistas excepcionais do Lago Titicaca e da Cordilheira dos Andes, levando-o a relaxar e desfrutar da tranquilidade circundante, onde poderemos realizar uma caminhada por todos os arredores e aprendermos sobre os costumes e a culturas dos Aymaras locais.

Para preservar e proteger o meio ambiente na Ilha do Sol, há na Estancia um jardim repleto de plantas e árvores nativas, como Katuta, Quiswara e Queñua, contando ainda com uma estufa ecológica onde são produzidos alimentos orgânicos e ervas utilizadas no menu do restaurante.

Aqui você desfrutará da rica culinária Andina e de suas bebidas elaboradas com produtos naturais, sem aditivos e conservantes, contando ainda com uma inesquecível vista para o lago.

Para chegarmos até aqui viemos de La Paz a Copacabana. E é Copacabana o ponto de partida para Isla del Sol. Em ambas, há piers prontos para o suporte ao viajante.

Uma dica importantíssima: leve uma mochila pequena ou o mínimo de bagagem possível. Estamos a quase 4.000m de altitude, e o soroche pode bater pesado aqui.

Também conhecido como mal de altitude ou mal agudo de montanha, o tal do soroche é um bicho-papão que pode aparecer durante uma viagem para destinos que ficam muito acima do nível do mar. Na verdade, o soroche é considerado um estado relacionado com a dificuldade de adaptação de uma pessoa em ambientes com ar rarefeito.

Todo organismo possui uma quantidade de oxigênio essencial para a sua sobrevivência, que é absorvido por meio da inspiração. O que acontece é que em locais com altitudes acima de 2.400 metros, a pressão atmosférica diminui e o ar se torna rarefeito.

Na tentativa do nosso organismo se adaptar ao ambiente, começamos a respirar com dificuldade: a quantidade de oxigênio diminui e os sintomas de mal estar, conhecido como soroche, podem aparecer. Para minimizar esta eventual sensação, basta observar as dicas abaixo:

Beber muita água

Manter o corpo hidratado o tempo todo será uma das principais dicas. Nosso corpo já estará sobrecarregado pela falta de oxigênio, sendo importante o aumento do consumo médio de água para mantê-lo em bom funcionamento.

Alimentar-se bem: significa não fazer refeições pesadas, principalmente à noite. Dar preferência a comidas leves como saladas, frutas, legumes, verduras e cereais.

Lembre-se que durante a digestão o sangue se concentra no estômago, no estômago – deixando o cérebro menos irrigado – momento em que os sintomas do soroche podem aparecer com mais intensidade.

Fazer aclimatação: se possível o ideal é que a viagem comece com uma noite extra, anterior, em La Paz, ou mesmo, em Copacabana.

Andar devagar: andar em passos lentos e fazer tudo sem pressa, para não forçar ainda mais o organismo.

Caminhando lentamente pelas ruas de Potosí.

Mastigar folhas de coca: mascar folhas de coca é uma tradição dos povos andinos e que realmente ajuda a evitar os sintomas do soroche. A coisa mais comum na Bolívia é ver o povo com um bolinho de folhas de coca na boca, fazendo um volume na bochecha.

O gosto não é dos melhores, parece um espinafre mais amargo, mas traz alívio…! Existem outras opções: bala de coca, bombom de coca, chá de coca… Nesse caso, como a concentração de coca é menor, para sentirmos seus efeitos, a ingestão de chá deverá ser maior.

Bombinhas de oxigênio: uma bombinha de O² pode ser a garantia de um suspiro quando estivermos mais ofegantes, podendo ser adquirida nas farmácias de Copacabana.

Use o Sorojchi Pill: sorojchi pill é um comprimido bem conhecido para aliviar os sintomas do soroche. É um medicamento fácil de encontrar em qualquer farmácia pela Bolívia. Mas vale dizer que ele é um remédio para aliviar e “mascarar” os sintomas, não agindo na origem do problema. Sua fórmula é basicamente cafeína, ácido acetilsalicílico e salofeno, funcionando bem para dores de cabeça e enjoos.

Uso de medicamentos como Acetazolamida: existe um remédio bem conhecido para a prevenção ou combate aos efeitos do mal de altitude: ele se chama Acetazolamida, no Brasil tem o nome comercial de Diamox. Ele funciona de forma diferente das soroche pills, já que ajusta seu corpo para os efeitos da altitude, ao invés de apenas aliviar os sintomas.

Para tomar esse remédio, você deverá consultar um médico. Ele irá analisar alguns fatores para te indicar a posologia exata, levando em consideração seu histórico, seu tempo de permanência na altitude e outras coisas.

Dica: Se o viajante tem pressão-alta e necessita de medicação diária, ANTES de viajar para locais de altitudes superiores a 3000m deve consultar seu médico pessoal, para aconselhamento.

Mas, nós passaremos bem, e assim desfrutaremos da Isla del Sol: um dos lugares mais sagrados dos Andes. Só para se ter uma noção da sua importância religiosa, segundo a lenda, foi exatamente nesta gigante ilha que surgiu a versão andina de Adão e Eva.

Inti, o Deus Sol, ao ver que os homens viviam na terra de forma selvagem, resolveu que era hora de ensinar “bons modos” à humanidade. Para isso, ele fez surgir um casal: Manco Capac (imagem acima) e Mama Ocllo, e os enviou à Terra.

Os filhos de Inti emergiram ali mesmo, do fundo do lago Titicaca, permanecendo um tempo em Isla del Sol.

Com toda a sabedoria dos deuses incas, eles ensinaram aos homens não-civilizados a justiça, a religião, a agricultura, a astrologia e muitas outras ciências.

Manco Capac e Mama Ocllo seguiram então para o norte e, após uma revelação divina, fundaram um grande império: a cidade de Cusco, no Peru.

Assim, estão historicamente interligadas: Cusco, no Peru e Isla del Sol, na Bolívia.

E veja quem mais está interligada: a nossa Copacabana no Rio de Janeiro! O nome Copacabana do famoso bairro do Rio de Janeiro tem tudo a ver com o nome da cidade boliviana de Copacabana.

No início do século XVI, uma imagem de Nossa Senhora foi entalhada e colocada às margens do Lago Titicaca. Com o tempo, os locais começaram a se referir à imagem como a Nuestra Señora de Copacabaña. (“Copacabana” é uma palavra quechua que significa “olhando o lago”).

Em algum momento do passado, mercadores portugueses levaram uma réplica da imagem da Santa boliviana para o Rio de Janeiro e para abrigar a imagem, foi construída a capela de Nossa Senhora de Copacabana, onde hoje é o Forte de Copacabana.

Fato é que os cariocas curtiram o nome e em homenagem à Santa, resolveram batizar a famosa praia e o badalado bairro de “Copacabana”.

Ao desembarcarmos na ilha, no lado sul da Isla del Sol, a primeira coisa que nos chama a atenção é aquela enorme escadaria que, de tão alta, parece que vai dar no céu, bem na morada do deus Inti!

Os Altares Cerimoniais e a lendária Fonte Inca dão boas-vindas aos que chegam, já as estátuas de Manco Capac e Mama Ocllo ficam posicionadas no início da escadaria, desejando boa sorte para todos que terão a tarefa de encarar os incontáveis degraus.

Esta não será somente uma viagem turística, mas uma jornada interior de descobrimentos, autoconhecimento e equilíbrio. Nossa Guia Canalizadora/Facilitadora te convida a entrar em contato com a vibrante energia do Lago Titicaca, os degraus da escadaria d’Os Passos Incas, a Fonte Inca e tantos outros lugares mágicos. Lugares onde você poderá descobrir suas mais profundas emoções e permitir que elas fluam com o objetivo de liberar/relaxar seu corpo para uma maior e completa conexão com seu ser de luz, levando-o ao início de uma jornada de descobrimentos de quem você realmente é. Um encontro com seu caminho, sua história e seu legado.

Esta será, sem dúvidas, uma das experiências mais profundas que você irá vivenciar nesta existência! 

Observe as estrelas – As paisagens impressionantes criam um ótimo pôr-do-sol e nascer do sol, mas o que realmente rouba o espetáculo é o céu escuro. A Isla Del Sol é o melhor lugar para aproveitar a paisagem mundial das estrelas.

Além disso, poderemos aproveitar:

  • Os Passos Incas: Os Passos Incas consistem em 206 pedras construídas pelos Incas, que levam até o sul da cidade de Yumani. Ao chegarmos ao topo do caminho encontraremos um banho natural que os Incas acreditam que foi uma fonte da juventude. As águas saem de 3 riachos apelidados de “não seja preguiçoso, não seja um mentiroso e não seja um ladrão”.
  • A Pedra do Puma: essa formação rochosa chamada de pedra do Puma ou Titi Kharka é dito ser o lugar que o sol e a lua nasceram. O Lago Titicaca foi nomeado depois desse lugar misterioso.
  • O Museu do Ouro: Esse pequeno museu está localizado no lado norte da Ilha do Sol na cidade de Challapampa. Possui uma coleção de tesouros Inca, cerâmicas antigas e alguns objetos de metal descobertos na cidade subaquática de Marka Pampa. Nós não iremos ao lado norte, sem antes nos certificarmos junto ao guia se há segurança e autorização, pois esse setor possui dissidência local em relação ao sul da ilha.
  • A Mesa Inca: Essa plataforma de pedra foi utilizada para sacrifícios e continua sendo usada pelos bruxos para rituais religiosos dedicados ao sol.
    • Para termos chegado até aqui e para sairmos da Isla del Sol
    • Para MAIOR CONFORTO de todos os integrantes, nosso roteiro prevê estada em La Paz, 2 noites na ida e 1 na volta.
    • Nosso hotel poderá ser o Express Altus, ou similar.
    • Este hotel possui uma arquitetura moderna e contemporânea com toques elegantes inspirados na cultura boliviana. Sua localização fica no centro da cidade a poucos passos da Avenida El Prado, a cinco (5) minutos da área turística de La Paz e em frente ao famoso Panóptico de San Pedro.

Tanto na ida quanto na volta nossa relação com La Paz será muito mais noturna que diurna.

A cidade proporciona uma bela vista panorâmica à noite.

La Paz é a sede do governo da Bolívia desde 1898, mas a capital oficial do país está na cidade de Sucre, e seu nome oficial é Nuestra Señora de La Paz.

DICA: Evite a comida de rua na Bolívia. É mais seguro comer no hotel ou em restaurantes.

Há pratos típicos: como o Pique a lo Macho. Uma entrada que serve muito bem como prato principal, que mistura ovos cozidos, carne, batatas, queijo, cebola, azeitonas, salsichas e pimentas rocoto, típica dos Andes. As Salchipapas, tradicionais na Bolívia, que consistem em uma mistura de salsichas e batatas. Não deixe também de provar as Humintas, que são pamonhas bolivianas de milho branco, o qual é tradicional na região andina.

Como serão ao todo 2 noites em La Paz, podemos recomendar opções para todos os gostos: Frango com curry e gengibre, em um restaurante vietnamita, o Vinapho; ou uma Truta do Titicaca, no Agnelo Colonial (restaurante & antiquário). Para quem, a esta altura (sem trocadilho) estiver com saudade de uma pizza, há uma pizzaria com nome de pizza, a Mozzarella Pizzaria.

Um ótimo local para exercitar suas compras, é o Mercado de Las Brujas, aproveitando o tempo livre que cada um poderá ter, de forma livre, opcional e individual.

 

Mercado das Bruxas é um local no centro de La Paz onde são comercializados vários itens relacionados às religiões de povos andinos como os Aymará e os Quéchua. Essas lojas lembram muito as de Umbanda e Candomblé que são comuns no Brasil. Mas o lugar não fica restrito só a este tipo de comércio. No Mercado das Bruxas também são encontradas roupas, tapetes, itens de decoração, artesanatos, souvenires, joias e muitas outras coisas.

Durante o dia todo, turistas do mundo inteiro transitam por lá com suas máquinas fotográficas penduradas no pescoço, mas a maioria dos que procuram o Mercado, são moradores locais em busca de remédios ou objetos para rituais de boa sorte, proteção, sucesso, prosperidade, amor e outros benefícios. Apesar do apelido “Calle de Las Brujas”, o lugar vai muito além de apenas uma rua, formando na verdade, um grande mercado cheio de tendas e lojas, que se espalham por várias ruas no centro de La Paz. É até estranho ver o contraste que há naquela região: o enorme comércio com seus objetos ritualísticos, que funciona bem atrás de uma das catedrais mais icônicas de La Paz, a Igreja de San Francisco, construída pelos espanhóis no século XVIII.

A grande maioria dos povos da Bolívia cultuam Pachamama, a deusa da terra e da fertilidade, que mantém o equilíbrio cósmico. Então, os objetos vendidos no mercado são destinados, principalmente, às celebrações de culto e oferenda a essa Deusa. Agora, se você gosta de objetos excêntricos, não deixe de conhecer os famosos e bizarros fetos de lhama, que são muito procurados por pessoas que estão construindo uma casa nova, já que, segundo a tradição Aymará, precisam enterrar ao menos um exemplar no terreno da construção.

O feto é colocado bem abaixo da pedra fundamental do imóvel, em um ritual de oferenda para pedir proteção a Pachamama. Porém, não é só para este ritual que os fetos são utilizados. Muitas vezes eles também são queimados por pessoas que querem agradecer à Deusa por alguma conquista.

Uma característica do povo boliviano é que no país a medicina natural e o curandeirismo tem muito mais crédito que a medicina convencional e são extremamente difundidos para o tratamento dos mais diversos tipos de doenças. Desde um simples resfriado até mesmo um câncer, tudo pode ser remediado com algumas doses diárias de chá, uma boa benzida ou por meio de alguma pomada milagrosa. Nas ruas de cima do Mercado das Bruxas, principalmente na avenida Illampu, há várias cholas (mulheres com trajes típicos) em suas barracas vendendo plantas medicinais e atuando como “verdadeiras médicas”. Acredite: além de vender as plantas, elas também passam receitas e recomendam tratamentos e, se pedir, dão até atestado!

E como quem viaja, vai e volta…e é hábito mundial levar souvenir para casa, para os amigos; os bolivianos estão ligados nisso. Poderemos comprar tapetes, ponchos típicos e camisetas divertidas.

E se desejarmos comprar pequenas esculturas, que são consideradas amuletos, devemos ter em mente qual o significado de cada uma:

  • a figura do condor é para trazer sorte aos viajantes;
  • tartaruga traz longevidade;
  • sol representa a paciência e a inteligência;
  • la pareja” (casal abraçado) atrai o amor;
  • o pequeno monolito do Tiwanaku é para chamar prosperidade no trabalho;
  • a representação de Pachamama atua protegendo a família.

E para finalizar (ou começar…?) que tal o MUSEU DA COCA?

COCA MUSEUM é um lugar típico onde podemos aprender sobre a ciência, a história, enfim: tudo sobre coca e cocaína. A planta da região andina que acredite ou não, tem uma história verdadeira que terminou com muitas vidas e que ajudou a implantar e também derrubar vários governos, como inicialmente também esteve na bebida universal: Coca Cola !!!!

Opcionalmente, poderemos visitar a NOVA EXTENSÃO DO MUSEU DA COCA no mesmo local em que a planta de coca foi domesticada há cinco mil anos. É chamada de COCA WASI “A casa da planta de coca”, uma experiência de vida real com a planta de coca. Está localizado na região de Yungas, em La Paz, a principal zona de cultivo legal e tradicional de coca na Bolívia, onde poderemos ver antigas plantações de coca, aprender tudo sobre sua agricultura e provar os derivados legais desta planta poderosa.

 

Bolívia – Isla del Sol: O Paraíso Misterioso! A Ilha Sagrada dos Incas!

Uma aventura mística com vivências presenciais guiadas, que proporcionarão um encontro com o nosso eu interior sob as estrelas dos Andes, nas vibrantes águas do Titicaca e outros locais sagrados, onde estaremos mais próximos de nós mesmos, nos permitindo uma profunda transformação, cura e despertar.

Uma viagem ímpar, acompanhada de uma Guia canalizadora especial.

Sobre a GUIA ACOMPANHANTE:

Elayne Paiva, Diretora e idealizadora do Centro Holístico do Saber.

Bailarina, Canalizadora, Terapeuta Holística e Despertadora Consciencial, Mestra plena em Cura Quântica Estelar e Mestra Reiki.

 

Técnicas:

Orixá Reiki Magnificado, Cura Quântica Estelar, Mesa Radiônica e Tarô Terapêutico como uma visão quântica do caminho.

Metodologias canalizadas e desenvolvidas por Elayne:

Em atividade nessa jornada como terapeuta há mais de 10 anos, onde canalizou e desenvolveu ao longo do tempo de atendimento, O CAMINHO DO AMOR, uma jornada para seu interior;

A prática da ORAÇÃO MEDITAÇÃO ATIVA onde você aprende a alinhar seu corpo, mente e coração;

Os Ensinamentos da ESCOLA de MISTÉRIOS do TEMPLO do AMOR – EMITA, onde é trabalhado o despertar e entendimento dos Sagrados Masculino e Feminino;

MOVIMENTOS QUE LIBERTAM, uma metodologia que une sua experiência como bailarina e terapeuta, na qual a pessoa vivencia e aprende a ouvir seu corpo e honrar seu próprio movimento.

Todas essas técnicas e metodologias foram canalizadas e desenvolvidas a partir de suas próprias experiências, dores e seu caminho de despertar e Maestria.

Hoje com esse trabalho provoca nas pessoas seu despertar, bem estar e ensina a sustentar esse novo padrão: que o processo de despertar e Maestria é uma jornada interior e individual!

 

 

 


Valores

Bolívia - Isla del Sol: O Paraíso Misterioso! A Ilha Sagrada dos Incas!

 

Nosso Roteiro inclui:

Traslado Aeroporto La Paz / Hotel em La Paz

2 Noites em La Paz no Hotel Altus Express (ou similar), na chegada

Traslado Hotel em La Paz a Copacabana

Traslado em Catamarã pelo Lago Titikaka a Isla del Sol Hotel Ecolodge la Estancia

3 Noites no Hotel Ecolodge La Estancia c/ Café da Manhã e refeições

Acompanhamento integral guia para grupos

Atividades com o guia

Traslado Isla del Sol / Hotel La Paz (na volta)

1 Noite em La Paz no Hotel Altus Express (ou similar)

Traslado Hotel La Paz / Aeroporto

 

O Aéreo, à parte, poderá ser disponibilizado para grupos, em formato de tarifa pré-fixada e garantida, OU adquirido de forma avulsa por cada passageiro em tarifa flutuante.

 

Este é um destino exótico e exclusivo, com temática que requer o apoio de um especialista.

Consulte o seu Agente Pessoal de Viagens para a melhor assistência.

Contato Nacional: 41-4102-0700

 Compartilhar pacote:

Fotos

Pré-reserva

Inscreva-se para receber todas as informações do pacote.


Outros destinos